Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Os diletantes são-no geralmente de ideias ou de emoções - porque para compreender todas as ideias ou sentir todas as emoções basta exercer o pensamento ou exercer o sentimento, e todos nós, mortais, podemos, sem que nenhum obstáculo nos coarcte, mover-nos liberrimamente nos ilimitados campos do raciocínio ou da sensibilidade.” Eça de Queiroz

Balada dum dia triste

João A. Moreira, em 14.08.13

           

 De há dois anos para cá,

Sinto um enorme desgosto

Neste catorze de Agosto.

 

E este ano, para agravar

Esta agonia mortal,

Deu-me uma vontade imensa

De voltar a Portugal.

 

De que tudo fosse como dantes,

Copos de vinho no ar a tilintar,

Comemorando o teu nascimento

Ó meu amigo, ó meu irmão ímpar.

 

Queria voltar a ver o teu sorriso,

Poder apertar a tua mão

E voltar a passear contigo

Partilhando a nossa solidão

 

Queria saber-te aí,

nos sítios do costume,

Rodeado de livros,

Com esses olhos vivos

Como lume

 

Mas, quem sou eu para querer-te aqui comigo?

Para colocar à frente dos teus

Desejos meus,

Se os teus 40 anos,

Decidiste festejá-los junto a Deus?

 

 

Timbó, Santa Catarina, Brasil, 14 de Agosto de 2013

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:



os diletantes

JdF
Joana da Franca

JAC
João Albuquerque Carreiras

João A. Moreira
João Almeida Moreira

ajbarrote
Jorge Barrote

osdiletantes@sapo.pt





pesquisar

Pesquisar no Blog  




Google Analytics