Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Os diletantes são-no geralmente de ideias ou de emoções - porque para compreender todas as ideias ou sentir todas as emoções basta exercer o pensamento ou exercer o sentimento, e todos nós, mortais, podemos, sem que nenhum obstáculo nos coarcte, mover-nos liberrimamente nos ilimitados campos do raciocínio ou da sensibilidade.” Eça de Queiroz

Saravá, Meca!

João A. Moreira, em 15.08.13

 

Hoje é o aniversário da Magda Pollmann, a alemã mais baiana do Brasil e chefe de cozinha do “Bistrô Entre Parêntesis”, pedacinho de paraíso no Vale Europeu.

A Magda é uma chefe à antiga, apaixonada pelos aromas, pelos sabores, pelas receitas, pela origem dos produtos. A sua culinária transporta-nos para manhãs de Páscoa de casa cheia, crianças correndo, ansiosas pela chegada do Cristo Ressuscitado, para poderem deliciar-se com as guloseimas que, desde manhã cedo, se atravancam nas mesas da cozinha, inundando a casa com uma miscelânea deliciosa de aromas provocadores.  

É de facto de casa que nos lembramos, quando provamos os seus pitéus. Da casa dos nossos pais e dos velhos sobrados de Salvador, com baianas sentadas ao Sol, aguardando pacientemente que o cheiro da moqueca atravesse os longos corredores e, espraiando-se pela casa, lhes chegue às narinas atentas, anunciando o tempo certo de cozedura.

Tudo leva o seu tempo no Bistrô, um tempo que rapidamente aprendi ser o tempo da amizade. O tempo das muitas histórias que a Magda tem para contar. Histórias duma vida que cresceu com o Brasil e com os seus contrastes. Histórias de cada um dos ingredientes que aprendeu a usar nos recônditos do interior baiano e nos bairros degradados da velha São Salvador, onde a fome e a miséria aguçavam o engenho e transfiguravam, como que milagrosamente o pouco em muito, o desconhecido em trivial.

Por tudo isto e, por a Magda ter um coração do tamanho desse mundo que já percorreu, o Bistrô tornou-se a minha segunda casa. O local de refúgio em noites de solidão, o aconchego caseiro em dias de saudade, o ombro amigo em momentos de desespero e a certeza do conselho sempre certo e avisado.

Por isso, posso dizer com muito orgulho que hoje é o aniversário da minha amiga Meca e que dentro em pouco lá estarei, no Bistrô a brindar à sua saúde.

Meca, um grande beijinho de parabéns.

Saravá!

Autoria e outros dados (tags, etc)



os diletantes

JdF
Joana da Franca

JAC
João Albuquerque Carreiras

João A. Moreira
João Almeida Moreira

ajbarrote
Jorge Barrote

osdiletantes@sapo.pt





pesquisar

Pesquisar no Blog  




Google Analytics