Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Os diletantes são-no geralmente de ideias ou de emoções - porque para compreender todas as ideias ou sentir todas as emoções basta exercer o pensamento ou exercer o sentimento, e todos nós, mortais, podemos, sem que nenhum obstáculo nos coarcte, mover-nos liberrimamente nos ilimitados campos do raciocínio ou da sensibilidade.” Eça de Queiroz

A arte de receber

João A. Moreira, em 16.02.13

Nesta minha experiência pelo chamado "Vale Europeu", no Estado de Santa Catarina, confirmo a ideia da multiplicidade de "países" que constituem este maravilhoso gigante sul-americano. Se, num primeiro impacto, a imagem musical e poética do país do samba e da boémia esbarra por aqui com a herança da colonização germânica da região, num olhar mais atento, percebemos que o suposto "ar marcial" acentuado pela pele clara, o cabelo loiro e os olhos azuis, não sobreviveu à miscelânea cultural brasileira.

E esse é um  dos charmes do "Bistrô Entre Parênteses", sonho de vida das manas Pollmann, tornado realidade. Encontrar duas brasileiras de origem alemã, que decidiram enriquecer a sua Timbó natal, com 25 anos de experiência baiana é, por si só, algo de indescritível. Mais ainda, quando imaginamos o choque cultural da sua chegada à Bahia do afro-samba, através das histórias contadas entre moquecas, risottos e muitas gargalhadas.

Neste rés-de-chão de esquina que a Meca e a Xuxa, como são conhecidas por aqui, fizeram o milagre de transformar num dos espaços mais acolhedores de Timbó, provam-se experiências, num ambiente familiar e informal, que se pode transformar, a qualquer momento, num show de bossa ou numa roda de samba.

Por aqui não há "cardápios nem garçons". Há a Xuxa a deambular pela sala como anfitriã perfeita e a Meca na cozinha, com aparições fugazes entre nós, como que buscando inspiração no olhar e no estado de espírito de quem está, para o prato que irá confeccionar cuidadosamente para cada um.

Pelo meio podemos ser surpreendidos por um espumante gelado, por uma cerveja artesanal ou por um vinho cuidadosamente servido. Tudo como se estivessemos em casa e se o bar ao canto fosse o frigoríco de casa.

Depois, podem ser horas de pequenas estórias ou mesmo de História, contadas de forma contagiante pela Meca, que dedicou uma vida a descobrir os milagrosos segredos de cada uma das receitas que confecciona.

É inevitável que este "Bistrô Estre Parênteses" passe a ser "muito cá de casa".

Autoria e outros dados (tags, etc)



os diletantes

JdF
Joana da Franca

JAC
João Albuquerque Carreiras

João A. Moreira
João Almeida Moreira

ajbarrote
Jorge Barrote

osdiletantes@sapo.pt





pesquisar

Pesquisar no Blog  




Google Analytics